Página inicial

 Página inicial

 Álbum de Fotos

 Agapornis

 Calopsitas

 Papagaios

 Cuidados gerais

 Cortando asas e unhas

 Devo ter um pássaro?

 Direitos dos animais

 Plantas para pássaros

 Ecologia

 Mapa do site

 Histórias reais

 Aves no Antigo Egito

 Aves e a arte

 Aves de São Paulo

 Nossos mascotes

 Campanhas/Banners

 Links

 Nossos Artigos

 Matérias

 Ser Vegetariano

 Proteção Animal

 Escreva-nos!

Criando Papagaios, Calopsitas e Agapornis.

 

Bicho não é lixo  -  Abandono animal

 

 O ABANDONO DOS SEM DONO 

A compaixão é um dos sentimentos mais nobres entre aqueles com os quais a natureza humana foi contemplada e jamais deveria ser seletivo quando se trata de seres vivos. O cão abandonado merece a mesma intensidade de solidariedade que qualquer outro ser que se vê privado de alimentação e água após ter sido lançado numa masmorra a céu aberto, o que caracteriza uma das maiores crueldades que geram um suplício que somente a morte ou a intervenção piedosa pode colocar um paradeiro.

Várias manifestações culturais são preconceituosas em relação a essa pobre criatura desde o inesquecível desenho animado de Walt Disney, cujo título foi traduzido para o nosso idioma com uma dose canina de insensibilidade: “A Dama e o Vagabundo” . Todos sabemos a carga depreciativa contida na palavra “vagabundo”, a qual somente adiciona aspecto negativo a outras manifestações, inclusive as oficiais. O termo “técnico” para classificar um cão abandonado perante o órgão da administração municipal que há pouco tempo promovia a remoção do mesmo das ruas dos  centros urbanos era “cão vadio”.

A grande vadiagem é a do pensamento acomodado que faz com que alguns simplesmente ignorem esse desfile de mortos-vivos perante nossos olhos e encarem com  a naturalidade dos conformados o martírio gerado por alguém que agiu com a crueldade extrema perante um ser indefeso : o abandono consciente.

A doação responsável é o caminho redentor que pode cobrir de dignidade uma ação de caridade.  Quanto menos seletiva for por parte de quem recebe um ser vivo no ambiente de seu lar, mais será condizente com os princípios básicos daqueles seres especiais que se recusam a fazer parte da omissão generalizada em relação ao sofrimento de nossos irmãos irracionais.

A conscientização tem que ser iniciada no período mais  puro da criatura humana: a infância. Através de ensinamentos específicos sobre a importância de outros seres vivos no contexto de nossa vida, poderemos concluir que a  divindade   nos enviou um mensageiro como São Francisco de Assis  com um propósito básico de ensinar que a ingratidão perante o grande amigo do homem  é simplesmente inaceitável.     

É impossível ignorar as iniciativas caridosas de entidades e pessoas que de forma incansável se dedicam a minimizar esse sofrimento. São exatamente esse grupo de seres humanos ainda minoritário que leva a concluir que nem tudo está perdido e que em qualquer fase de nossa vida não temos o direito de ignorar o sofrimento dos que não tem voz e escolha.

Se você consegue visualizar e sentir a atitude de ternura contida num abanar de rabo, seja bem vindo ao clube dos seres especiais. Aqueles que marcarão a sua passagem pela vida no plano físico com atitudes positivas no sentido de repreender de forma civilizada porém firme a criança que maltrata um animal. A redução do abandono nas futuras gerações será a recompensa concreta por essa atitude educativa e humanitária.


Este é Kramer, um cão que foi abandonado após o nascimento de um bebê por uma família, foi encontrado morrendo, hoje está forte, bonito e é muito amado.

Visite o site:

http://www.luizprotecaoanimal.com.br

e adote um cão:

http://www.queroumbicho.com.br

Ajude o Projeto CEL (Casa Esperança e Liberdade para Animais Carentes) http://www.projetocel.org.br/site_novo/

Um cão adotado muda a sua vida! Adote!

 

                                                                                                                                 

             


                                                   BIRDMANIA 1999-2009 - birdmania@uol.com.br